sábado, 4 de março de 2017

Já nas livrarias!


terça-feira, 24 de junho de 2014

Foi Vento...


Hoje, invade-me uma serenidade invulgar.
Uma vontade de ser abraçado.
Uma vontade de abraçar.
Sinto-me como o desalojado…
Contemplando a sua obra devastada pelo tornado.
Mas como sereno? Se o vento tudo levou!
Tudo?
Não!
Não levou a dignidade!
Não levou a certeza das nobres causas!
Não levou a pedra da fraternidade.
Não levou a vontade!
A vontade de recomeçar.
Porque vento nenhum apagará a verdade!


Jaime, 22 Junho 2014

sábado, 26 de abril de 2014

Sonhar Abril



Sonhar Abril, dos quarenta cravos vermelhos.
Sonhar Abril, da liberdade, da paz e do futuro.
Sonharam novos e sonharam velhos!
Galgaram estradas, caminhos e ruas,
partiram cercas e tombaram o muro
da tirania e da opressão.
Com cravos, e as armas da verdade e da razão.

Sonharam a democracia, progresso, igualdade,
sonharam com uma nova vontade,
de construir, crescer evoluir.
Olhar em frente, rumar à liberdade!

Roubam-nos o sonho… esmagam Abril,
Abafam a voz dos que deram o corpo às balas!
Roubam-nos o sonho e carregam cifrões,
regam os cravos com águas do passado,
mandam-nos fazer as malas…
Os ladrões!
Ladrões de um sonho de Abril realizado!

E assim, à deriva deixaram uma nação
embalada em ondas de promessas,
e abutres armados de corrupção,
que viraram tudo às avessas!

Comemorar Abril sem coração?   
Comemorar Abril com cravos cinzentos?
Não! Abril sonha ainda…
Que não se abra a porta da escuridão,
que soprem novos ventos!
Que não se cale de vez a esperança,
que venham archotes de indignação!

Ainda há Abril por cumprir
E cravos que querem ter cor!
Há muita alegria para rir
Há ainda muito orgulho e preceito!

Sem portas escancaradas,
filósofos ou animais de capoeira.
Firmes, de fileiras cerradas,
de um só folego sopremos esta poeira.
Porque afinal, Abril chegou!
E já com quarenta cravos no peito:
Ainda não se realizou!



Jaime Martins – Abril 2014

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Nelson Mandela


As palavras reduzem apenas ao seu simples significado.
Não chegam, nem podem homenagear um Homem desta índole.
Apenas ele sabe o que sofreu.
Apenas ele sabe pelo que passou.
Todos sabemos pelo que viveu! 
Todos sabemos.
Para que os que nascem livres
vivam livres...
Não o esquecemos.

domingo, 13 de outubro de 2013

Fontes de Guerra Fontes de Paz - Projecto de solidariedade replicativa

 Ainda a propósito do livro "Fontes de Guerra Fontes de Paz",gostaria, mais uma vez, de realçar o facto de que todos os proveitos resultantes do esforço colocado na concepção desta obra são atribuídos equitativamente a      três instituições  de solidariedade ou impacto social do concelho de Leiria. Assim, o preço de capa da obra, (15€) reverte na íntegra a favor de:
·         A Associação Lar Emanuel, IPSS  de prestação de cuidados e acolhimento de idosos.  https://www.facebook.com/laremanuel  Contacto: geral@laremanuel.pt
·         Associação Fazer Avançar, associação juvenil  com provas dadas de empreendedorismo social e grande potencial de intervenção. http://www.fazeravancar.org/ Contacto:  geral@fazeravancar.org
·         Sociedade Artística e Musical Cortesense, escola de música da freguesia de Cortes.  http://www.filarmonicadecortes.pt.vu/  Contacto: filarmonicadecortes@gmail.com
Representa a primeira, as gerações que nos antecederam, a segunda as gerações futuras e, fechando esta trilogia, a terceira representando a cultura, e união entre gerações.
Adquirindo este livro exerce solidariedade efectiva.
Uma sublime alegria.
Quem estiver interessado, poderá adquiri-lo, através de qualquer uma das instituições, cujo contacto está acima, através da editora:
Ou ainda através do autor, e autor deste blog, pelo meu email pessoal: jsom@sapo.pt

Bem haja.
Jaime de Oliveira Martins